Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Antônio Dias - Ouro Preto, Arquidiocese de Mariana

Das mais antigas paróquias de Minas Gerais (1707), a Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Antônio Dias em Ouro Preto, merece destaque também por ser das maiores em tamanho e suntuosidade, senão também pela presença do túmulo de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.

A certa época, como se vê da relação abaixo e da documentação que se transcreve na íntegra, foi cogitada para catedral do novo bispado de Minas, juntamente com sua co-irmã Nossa Senhora do Pilar. Tal fato leva os irmãos da Irmandade do Santíssimo Sacramento, e da Irmandade de Nossa Senhora da Conceição a construírem nova igreja, segundo o projeto e sob orientação do mestre de obras, Manoel Francisco Lisboa, pai do Aleijadinho.

A 1° de setembro de 1732 ali tomou posse o governador Conde de Glavêa e a 26 de março de 1735 é a vez do governador Gomes Freira de Andrade ali se empossar.

Coube a Felipe Vieira a execução da talha do altar mor (1760). As pinturas, executadas por volta de 1770, apresentam, no entanto, colorido em preto e vermelho, influencia oriental. A restauração, a primeira feita em Minas, não pode obter o colorido original.
Entre vários vigários que teve a paróquia, destaca-se o Pe. José Joaquim Viegas de Menezes, introdutor da imprensa em Minas Gerais.

Apresentando uma arquitetura típica de primeira metade do século XVIII, teve sua fachada modificada em meados do século XIX, numa imitação neo-clássica da fachada, da Capela de N. Senhora do Carmo de Ouro Preto. A decoração interna da nave, atribuída ao mesmo Manoel Francisco Lisboa apresenta-se com “arcos majestosos, debaixo dos preceitos da Vignola”, no dizer do vereador segundo de Mariana, Joaquim José da Silva, mostra uma série de oito altares, do lado direito, na ordem entrada para capela-mor: N. Senhora da Boa Morte, S. João Batista, S. Gonçalo e S. Miguel e Almas; do lado esquerdo, na mesma ordem: S. José, S. Sebastião, S. Antônio e Nossa Senhora Aparecida. O altar-mor apresentando o dossel e colunas torsas do período D. João V, introduz, nas paredes laterais da capela-mor decoração rocalha. A imagem de Nossa Senhora da Conceição em tamanho natural, lhe foi doada pelo Coronel Cícero Pontes em 1893, inspirada que foi na Conceição de Murilo.

Na antiga sacristia, consistório e porão, teve o vigário Pe. Francisco Barroso a feliz iniciativa de instalar o Museu Aleijadinho, onde podem ser admiradas várias obras do mestre, como os leões de essa, a imagem de S. Francisco de Paula, um Cristo crucificado, ou ler os lançamentos do óbito do Aleijadinho.


XXXVIII Jubileu da Imaculada Conceição

 

2008 © Todos os direitos reservados ao Museu Aleijadinho
Praça de Antônio Dias - Bairro de Antônio Dias - Ouro Preto, Minas Gerais, Brasil.